Princípio Fundamental da Psicoterapia: Visão da Própria Enfermidade

Trecho do livro Origem da Sanidade, de Norberto Keppe.

O princípio fundamental do processo terapêutico (psicoterapia) é a percepção de que se é doente; se não fosse, qual a necessidade da psicoterapia? O contrário é válido, para explicar a origem da enfermidade, pois justamente a doença é o fato de não querer se ver doente; como tratar do que não existe? Se o mal viesse de fora, não haveria qualquer necessidade de tratamento. Se o indivíduo não se vê doente, jamais alcançará qualquer sanidade; como sair da insanidade se não admite que está lá?

 

Fico pensando muitas vezes que talvez não seja tão egoísta como o pessoal fala.

Ou não aceita ver que pensa muito em si mesma?

 

É importante considerar que são as outras pessoas que nos conhecem melhor, desde que temos uma grande censura de ver os próprios males – o que não acontece com o semelhante que evidentemente até gosta de ver nossos defeitos, para também fugir dos dele. Por este motivo, posso afirmar que só o indivíduo que se vê doente é que conseguirá curar-se, pois se ele se acha são, como iria procurar sanar a enfermidade que acredita não ter?

 

Não entendo o pessoal quando afirma que não me interesso pelo trabalho.

Mas, o sr. se interessa mesmo?

Bem, o que me dão para fazer eu faço.

 

Na realidade, ele afirmava algo que não era bem o real, porque por várias vezes deixou seu trabalho incompleto – revelando possuir enorme irresponsabilidade; e ao não aceitar essa consciência, o cliente evidentemente jamais corrigiria um defeito que não acredita ter.

 

Eu me sinto muito distante de Deus, falou A.M.

Será que não tem um problema básico de inveja contra ele? Perguntei.

Mas, me falta a fé, retorquiu.

A inveja é a anulação da fé, reexpliquei.

 

Como a inveja é o anti-sentimento, ou a anulação da consciência, a resistência em ver a própria patologia esclarece o alto grau de inveja que a pessoa tem.

 

Não sei se foi por causa da cerveja que bebi, que fiquei nervoso, falou A.F.

O que o sr. chama de nervosismo?

É um sentimento de medo que me veio.

Ou agora o sr. está notando que tem medo?

Mas isso não é anormal?

O indivíduo normal é aquele que vê o seu mal. Todas as pessoas têm medo; por que o sr. não quer senti-lo?

 

O ser humano dificilmente aceita ver que é doente (neurótico), o que dificulta extremamente sua existência. Os pesquisadores e pensadores em todos os tempos procuraram saber qual seria o cerne fundamental de tudo o que existe, para a partir daí construir um sistema, seja científico ou filosófico, ou até mesmo teológico sobre a realidade da existência. O que se nota premente conhecer é que, se não houver consciência da própria patologia, todo e qualquer trabalho estará fadado ao insucesso.

 

Gostou desta publicação?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

• Usamos cookies para garantir que oferecemos a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que está satisfeito com ele. Política de Privacidade

• We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue to use this site we will assume that you are happy with it. Privacy Policy

Abrir WhatsApp
1
Dúvidas?
Olá!
Dúvidas? Nossa equipe está pronta para atender você!
Skip to content